terça-feira, 9 de junho de 2009

Renoir

Pierre-Auguste Renoir, nasceu em Limoges dia 25 de fevereiro de 1841 e morreu em Cagnes-sur-Mer, 3 de dezembro de 1919) foi um dos mais célebres pintores franceses e um dos mais importantes nomes do movimento impressionista.
Desde o princípio sua obra foi influenciada pelo sensualismo, embora não faltasse um pouco da delicadeza de seu ofício anterior como decorador de porcelana. Seu principal objectivo, como ele próprio afirmava, era conseguir realizar uma obra agradável aos olhos. Apesar de sua técnica ser essencialmente impressionista, Renoir nunca deixou de dar importância à forma - de fato, teve um período de rebeldia diante das obras de seus amigos, no qual se voltou para uma pintura mais figurativa, evidente na longa série Banhistas. Mais tarde retomaria a plenitude da cor e recuperaria sua pincelada enérgica e ligeira, com motivos que lembram o mestre Ingres, por sua beleza e sensualidade.



Obras


Débora Andrade, nº 6

domingo, 7 de junho de 2009

Tiziano Vecellio

Tiziano Vecellio nasceu em Pieve di Cadore, em Itália, por volta de 1490.
Aos nove anos de idade foi enviado a Veneza para viver com um tio e tornou-se aprendiz de Sebastiano Zuccato. Pouco depois entrou no ateliê de Gentile Bellini.
Os seus maiores mestres, no entanto, foram Giovanni Bellini, irmão de Gentile, e Giorgione Castelfranco, renovador da pintura veneziana. Em 1508 colaborou com Giorgione na decoração do Fondaco dei Tedeschi.
Após a morte prematura de Giorgione em 1510, Ticiano encarregou-se de terminar vários dos quadros do mestre, o que gerou polémicas sobre a autoria principal dessas obras. Depois passou a trabalhar sozinho e provocou escândalos ao pintar nus em cenas bíblicas e em paisagens venezianas conhecidas.
Após essa época, Tiziano passou a dedicar-se ao retrato, género em que alcançou profundidade psicológica ao procurar transmitir a personalidade de seus retratados pela escolha da atitude e intensidade do olhar, além da valorização das mãos.
Em 1530, Tiziano assistiu à coroação, em Bolonha, do imperador Carlos V, que se converteu em seu principal patrono. O rei nomeou-o pintor da corte e três anos depois concedeu-lhe um título de nobreza, que revela o prestígio conquistado pelo artista.
Nas décadas seguintes, o trabalho de Tiziano como retratista levou-o a várias cidades italianas e à sede imperial de Augsburgo.
Em 1551 Tiziano fixou-se em Veneza. O cromatismo exuberante das cenas mitológicas que pintou entre 1554 e 1562 para Filipe II da Espanha prenunciou o estilo revolucionário de seus últimos anos, em que se desligou gradualmente das linhas para compor as formas mediante espessas pinceladas, que frequentemente retocava com os dedos.
Tiziano morreu em Veneza, em 27 de Agosto de 1576.

Obras















Nuno Salvador, nº18

Rembrandt Harmenszoon

Rembrandt Harmenszoon nasceu no dia 15 de Julho de 1606, em Leyden, na Holanda.Em 1620, Rembrandt larga a escola para se dedicar à pintura e um ano depois inicia a sua aprendizagem no atelier do pintor Jacob Isaaksz Van Swanenburch. No ano de 1623, a conselho do professor, ele vai para Amesterdão, onde passou quatro anos frequentando o atelier do pintor romantista Pieter Lastman, sua primeira grande influência.Ao regressar a Leyden, Rembrandt instala o seu próprio atelier, mas em 1631, tentado por um contrato vantajoso, retorna para Amesterdão, onde se instala definitivamente. Um ano depois, já era um pintor famoso e um dos mais caros da cidade, retratando os bem-sucedidos burgueses. Neste mesmo ano, pinta um dos seus quadros mais famosos: A Lição de Anatomia do Doutor Tulp, que faz imediato sucesso. No ano de 1633 recebe as primeiras encomendas oficiais para pinturas sacras e retratos. Mas a sua fama foi abalada quando teve o seu primeiro quadro feito por encomenda recusado. Seu título era A Mudança de Guarda da Companhia do Capitão Frans Bonninck, hoje conhecido como A Ronda Noturna. Finalmente, em 1656, é declarada falência dos empreendimentos financeiros de Rembrandt. Em 4 de Outubro de 1669, arruinado e na miséria, morre Rembrandt, deixando seu último quadro inacabado onde mostra o seu quarto com uma cama simples, uma cadeira partida, um espelho sem moldura e uma mesa rústica.

Obras















Mafalda Prazeres, nº 13

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Van Gogh

Vincent Willem van Gogh foi um pintor pós-impressionista holandês, considerado um dos maiores de todos os tempos. Ele falhou em todos os aspectos importantes para o seu mundo, durante a sua vida. Foi incapaz de constituir família, custear a própria subsistência ou até mesmo manter contactos sociais. Aos 37 anos, apanhou uma doença mental e suicidou-se.
A sua fama cresceu especialmente após a exibição das suas telas em Paris, a 17 de Março de 1901. Apenas depois da sua morte, é que a obra foi amplamente reconhecida.
Van Gogh é considerado pioneiro na ligação das tendências impressionistas com as aspirações modernistas, sendo a sua influência reconhecida em variadas frentes da arte do século XX, como por exemplo o expressionismo, o fauvismo e o abstraccionismo.

Obras























Gustavo Rosa,
nº 8












Luca Giordano

Nasceu em Nápoles, 18 de Outubro de 1632 — 3 de Janeiro de 1705) foi um pintor italiano. Artista celebrado e extremamente prolífico, era chamado Luca presto ("faz depressa") pelos contemporâneos; ouvira tantas vezes essa admoestação do pai, que pintava com inusitada rapidez.
O número de obras a ele atribuído ascende à casa dos cinco mil, a maioria de nível medíocre.
Chamavam-no também Proteu, pela facilidade que tinha de imitar o estilo de qualquer pintor. Seus pastiches de Dürer e de Rembrandt correm mundo _ mas não fez, realmente, cópias no sentido escrito da palavra. Seus primeiros trabalhos mostram a influência de Giuseppe Rivera, pintor espanhol de Nápoles (dito Il Spagnoletto), com quem é provável que tenha estudado. Mas seu estilo mudou depois de viagens a Roma, Veneza e Florença, onde vira as cores, o brilho, a leveza do Veronese e de Pietro da Cortona. De 1692 a 1702 foi pintor da corte de Carlos II, em Madrid.
Obras
Mafalda Faneca.
nº 14

Tintoretto

Jacopo Robusti (o seu pai era tintureiro. Tintore em italiano, e o pintor ficou conhecido como Tintoretto) foi o maior pintor que Veneza conheceu, depois de Ticiano. Nasceu na Ilha-República e raramente saiu de suas praias, restringindo seus interesses à vida familiar e à arte. Foi grandemente influenciado para efervescência do movimento religioso da Contra-Reforma e buscou, por meio de sua arte, concretizar uma visão altamente subjectiva e pessoal, que se recusava a ficar presa às regras renascentistas do equilíbrio formal e do naturalismo. Mestre do desenho, fascinado pelo corpo humano em movimento, criou uma quase infinita colecção de poses e gestos dramáticos e dinâmicos. Suas violentas distorções e a maneira original com que utilizava as cores dão a seu trabalho um tom quase alucinatório, antecipando o Barroco e o Maneirismo.
Tintoretto tinha sua marca pessoal é claramente reconhecível. A pincelada livre, solta, que Ticiano havia introduzido, tornou-se como que a caligrafia de Tintoretto. Alguns críticos qualificavam-na de áspera e incompleta. Mas essa qualidade “inacabada” concedeu à obra de Tintoretto um ar de modernidade, antecipando os impressionistas que viriam séculos depois. Nos últimos trabalhos de Tintoretto, essa tendência é levada ao extremo. A pincelada é rápida e brusca: a cor, fragmentada em fios de luz, e as figuras mais alongadas e acrobáticas que nunca. Algumas de suas obras finais consistem de uma interacção de sombras com as partes mais iluminadas e são pintadas quase exclusivamente em uma cor só.
Tintoretto foi um artista do comprometimento e da paixão. Embora fosse um exímio retratista e habilidoso decorador de grandes superfícies, era antes de tudo, um pintor visionário dos dramas religiosos. Na sua busca pela verdade do espírito, estava preparado para ir contra as noções de realismo e de acabamento, e era capaz de distorcer e até mesmo desfigurar o corpo humano, dominando um estilo único e inconfundível.

Obras







Márcia Oliveira, nº 15

Miguel Ângelo

Miguel Ângelo Buonarroti nasceu em Caprese, na Itália, em 1475.
Cresceu em Florença e contra a vontade de seu pai, decidiu ser aprendiz de Domenico Ghirlandaio, um pintor renascentista que formou excelentes artistas.
Domenico Ghirlandaio ficou impressionado com a técnica de Miguel Ângelo e recomendou que fosse estudar com Lourenço de Médici e Miguel Ângelo assim fez, tendo frequentado a escola de Lourenço de Médici de 1490 a 1492. Nesta escola foi influenciado por muitas pessoas importantes e pela filosofia de Platão e essas influências levaram a que expandisse as suas ideias na arte.
Foi durante este período que Miguel Ângelo criou dois relevos: a Batalha de Centauros e a Madonna da Escada. A primeira obra foi baseada em um tema sugerido por Poliziano e encomendada por Lourenço de Médici.
Depois da morte de Lourenço de Médici, Pedro de Médici, seu filho mais velho, recusou-se a financiar o trabalho artístico de Miguel Ângelo e este resolve partir e vai para Bolonha.
Nos meses seguintes, produziu um crucifixo de madeira para o pároco da Igreja de Santa Maria del Santo Spirito, que tinha o deixado estudar anatomia a partir de alguns cadáveres do hospital da Igreja.
Logo depois, o Cardeal San Giorgio compra uma obra de Miguel Ângelo esculpida em mármore, Cupido, e decide chamá-lo a Roma em 1496.
Em Roma, esculpiu as duas estátuas que lhe valeram a fama - Baco e Pietá. A Pietá foi uma encomenda do embaixador francês na Santa Sé.
Com menos de 30 anos, voltou para Florença em 1501 para consolidar a reputação que conquistara em Roma.
Permaneceu lá até à primavera de 1505, sendo a principal obra do período a escultura David, que se transformou num símbolo da arte Florentina.
É provável também que, na mesma época, tenha pintado o Tondo Doni (Uffizi).
Em 1505, foi chamado a Roma pelo papa Júlio II, que lhe encomendou um túmulo.
Apesar de praticamente se dedicar à escultura, Miguel Ângelo nunca deixou de desenhar, ele desenhava por prazer de segurar o lápis.
Foi escultor, pintor, arquitecto e poeta e estas suas capacidades fizeram com que o seu nome fosse quase tão importante como o de Leonardo Da Vinci, como representante do Renascimento e ficou também conhecido como o II Divino.
Duas das suas esculturas, David e Pietá são consideradas obras de referência de toda a história da escultura e Miguel Ângelo ainda não tinha trinta anos quando as fez.
Outra grande obra encomendada a este artista foram os famosos frescos da Capela Sistina.
Em 1534 estabeleceu-se em Roma, onde trabalhou para o papado pelos 30 anos de vida que ainda lhe restavam. Foi imediatamente contratado para pintar o Juízo Final na Capela Sistina e deu início ao trabalho em 1536.
Para Paulo III, que lhe encomendou o apocalíptico Juízo Final, o artista também executou as suas últimas obras em pintura, a Conversão de S. Paulo e a Crucificação de S. Pedro(1542-50), os frescos da Capela Paolina, no Vaticano.
Ao longo dos últimos 30 anos de sua vida, o artista dedicou-se sobretudo à arquitectura, e foi também um grande arquitecto. O seu empreendimento mais importante de todo o mundo cristão foi ter terminado a Catedral de S. Pedro, iniciada em 1506 sob o papado de Júlio II.
Na pintura e na escultura, usava quase exclusivamente a figura masculina heróica (em geral nua), mas nesse campo ele é considerado o melhor artista de todas as épocas.
Foi considerado uma referência para os seus contemporâneos e a sua influência foi incalculável.
Morreu em Roma, no dia 18 de Fevereiro de 1564.

Obras












Maria Inês, nº 16

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Paul Gauguin

Paul Gauguin nasceu em Paris, viveu os primeiros sete anos de sua vida em Lima, no Peru, para onde seus pais se mudaram após a chegada de Napoleão III ao poder. O seu pai pretendia trabalhar num jornal da capital peruana e foi o idealista da viagem. Porém, durante a longa e terrível viagem de navio acabou por ter complicações de saúde e faleceu. Assim, o futuro pintor desembarcou em Lima apenas com sua a mãe e irmã.
Quando voltou para França, em 1855, Gauguin estudou em Orléans e, aos 17 anos, ingressou na marinha mercante e correu o mundo. Trabalhou em seguida numa corretora de valores parisiense e, em 1873, casou-se com a dinamarquesa Mette Sophie Gad, com quem teve cinco filhos.
Aos 35 anos, após a quebra da Bolsa de Paris, tomou a decisão mais importante de sua vida: dedicar-se totalmente à pintura. Expôs pela primeira vez em 1876. Mas não seria uma vida fácil, tendo atravessado dificuldades económicas, problemas conjugais, privações e doenças.
Foi então para Copenhaga, onde acabou com o seu casamento.
Suas primeiras obras tentavam captar a simplicidade da vida no campo, algo que ele consegue com a aplicação arbitrária das cores.
O pintor parte para o Taiti, em busca de novos temas, para se libertar dos condicionamentos da Europa. Suas telas surgem carregadas da iconografia exótica do lugar, e não faltam cenas que mostram um erotismo natural, fruto, segundo conhecidos do pintor, de sua paixão pelas nativas. A cor adquire mais preponderância representada pelos vermelhos intensos, amarelos, verdes e violetas.
Viveu durante algum tempo na Bretanha, onde sua arte amadureceu. Posteriormente, viveu no sul da França, onde conviveu com Vincent Van Gogh. Numa viagem à Martinica, em 1887, Gauguin passou a renegar o impressionismo e a empreender o "retorno ao princípio", ou seja, à arte primitiva.
Gauguin tinha ideia de voltar ao Taiti, porém não dispunha de recursos financeiros. Com o auxílio de amigos e alguns artistas, organizou um leilão com as suas obras. Colocou à venda cerca de 40 peças, conseguiu cerca de 3 mil francos.
Em meados de 1891 regressou ao Taiti, onde pintou cerca de uma centena de quadros sobre tipos indígenas, como "Vahiné no te tiare" ("A moça com a flor") e "Mulheres de Taiti", além de executar inúmeras esculturas e escrever um livro, “Noa noa”.


Obras




Filipa Trindade, nº 7

Leonardo Da Vinci

Leonardo nasceu a 15 de Abril de 1452, na pequena cidade de Vinci, perto de Florença, centro intelectual e científico da Itália. O seu talento artístico cedo se revelou, mostrando excepcional habilidade na geometria, na música e na expressão artística. Reconhecendo estas suas capacidades, o seu pai, Ser Piero da Vinci, mostrou os desenhos do filho a Andrea del Verrocchio. O grande mestre da renascença ficou encantado com o talento de Leonardo e tornou-o seu aprendiz. Em 1472, com apenas vinte anos, Leonardo associa-se ao núcleo de pintores de Florença.
Não se sabe muito mais acerca da educação e formação do artista, no entanto, muitos autores afirmam que o seu conhecimento não provém de fontes tradicionais, mas sim da observação pessoal e da aplicação prática das suas ideias. Pintor, escultor, arquitecto e engenheiro, Leonardo da Vinci foi o talento mais versátil da Itália do Renascimento. Os seus desenhos, reflectem a enorme extensão dos seus interesses, que iam desde a biologia, à fisiologia, à hidráulica, à aeronáutica e à matemática.
Um dos quadros mais famosos do mundo deve-se a este homem das ciências e das artes. A «Mona Lisa» é provavelmente o retrato de Madona Lisa Gherardini, mulher do rico cidadão de Veneza Francesco del Giocondo que o encomendou ao pintor. Daí o quadro também ser chamado «A Gioconda». Deste modo, Leonardo da Vinci utilizou inúmeros conceitos matemáticos na pintura, em projectos de arquitectura e em diversas invenções.
Obras
Sara Madeira, nº 20

Pissarro

Jacob Camille Pissarro, pintor francês do impressionismo, nasceu a 10 de Julho de 1830.
Aos 11 anos Camille Pissarro foi enviado a Paris para estudar num colégio interno. Voltou para a ilha São Tomás, a fim de tomar conta do negócio da família. Algum tempo depois, a sua paixão pela pintura fê-lo mudar de vida: fez em 1852 amizade com o pintor dinamarquês, Fritz Melbye e a oportunidade de concretizar seu sonho surgiu com um convite para acompanhar uma expedição do Fritz Melbye a Venezuela.
Pissarro conquistou sua liberdade aos 23 anos. Em 1855, ele já estava em Paris com ajuda de Melbye, tentando iniciar sua carreira. O jovem fascinou-se com as telas de Camille Corot e travou amizade com Paul Cézanne, Claude Monet, Charles-François Daubigny, entre outros pintores impressionistas. Com Monet passou a sair para pintar ao ar livre, em Pontoise e Louvenciennes. Em 1861 casou com Julie Vellay.
No decorrer da guerra entre 1870 e 1871, na qual praticamente todos os seus quadros foram destruídos, residiu em Inglaterra. Quando voltou, começou a pintar na companhia de Cézanne. Com o objectivo de descobrir novas formas de expressão, Pissarro foi um dos primeiros impressionistas a recorrer à técnica da divisão das cores através da utilização de manchas de cor isoladas.
A partir de 1885, militou nas correntes anarquistas, criticando severamente a sociedade burguesa francesa, deixando-nos “Turpitudes Sociales” (1889), um álbum de desenhos. Nos anos 90 abandonou gradualmente o “neo-impressionismo”, preferindo um estilo mais flexível que melhor lhe permitisse captar as sensações da natureza, ao mesmo tempo que explorou a alteração dos efeitos da luz, tentando também exprimir o dinamismo da cidade moderna, de que são exemplos os vários quadros que pintou com vistas de Paris. Camille Pissarro morreu a 13 de Novembro de 1903 em Paris.
Obras
Inês Gameiro, nº 25

Paul Cézanne

Paul Cézanne nasceu no dia 19 de Janeiro de 1839 em Aix-en-Provence, morreu no dia 22 de Outubro de 1906. Criou e pintou grandes obras como: a dama da cafeteira, os jogadores de cartas, o rapto, natureza morta com maças e laranjas e natureza com três crânios. Apesar de todas estas obras houve uma que se destacou mais, Rideau, Cruchon Et Compotier. Esta obra foi vendida por 60 milhões de euros, o que é o quarto maior preço já pago por uma pintura desde aquele ano. Em Maio de 2006, o quadro foi considerado como a pintura de natureza morta mais cara já vendida em leilão.


Obras

André Oliveira, nº 2

Pablo Picasso

Pabllo Ruiz Picasso, que depois de consagrado como pintor assinaria só com o apelido materno, nasceu em Málaga no seio de uma família vinculada à pintura. Foi na Corunha que começou os seus estudos de Belas-Artes, mas foi em Barcelona, para onde a famíla se mudou em 1895, que completou a sua formação e iniciou a sua carreira de pintor. Devido à excepcionalidade dos seus dotes artísticos, obteve uma menção honrosa em ciência e caridade (1897).
Após este período, Picasso integra-se na boémia barcelonesa de fim de século, que era então um centro artístico de grande vitalidade. Frequenta a cervejaria de 4 Gats onde conhece todos os artistas catalães dessa época.
Em 1900 viaja pela primeira vez a Paris e em 1901 faz a primeira exposição francesa. Instala-se em 1904 no mítico Bateau-Lavoir de MontMartre. Dividindo a sua obra entre Paris e Barcelona, passa a primeira fase da sua obra, os chamados Períodos Azul e Rosa que se prolongam até 1906.
Em 1906, o interesse pela escultura ibérica e pelas máscaras africanas do Museu de Trocadero remete para uma nova alteração das suas obras; é o ponto de viragem para o Cubismo. Este período desenvolve-se entre 1909 e 1914.
No período entre guerras continua a aprofundar o cubismo, através da pintura, da collage e da escultura, regressando eventualmente a uma figuração classicista e mediterrânica. A Guerra Civil Espanhola impõe trouxe uma nova marcação na sua vida e obra.
Em 1937, a viação alemã, aliada dos subelevados, bombardeia a cidade de Guernica, provocando um autêntico massacre da população civil.
Após a 2.ª Guerra Mundial, Picasso instala-se no Sul de França, que visita desde os anos vinte.
Período Azul e Rosa
Entre 1900 e 1906, coincidindo com a sua tomada de contacto com a cena artística francesa, Picasso inicia a primeira fase pessoal da sua carreira artística. O peso de Barcelona arte-novista ainda se nota em alguns quadros de ar decadente e simbolista, muito de acordo com o gosto da época. As figura de porte monumental sobre ssaiem sobre fundos monocromáticos em que predominam o azul e o rosa, que dão nome a estas duas fases.
Não é fácil estabelecer a fronteira entre a época Azul e a Rosa, embora na primeira sejam mais frequentes os temas compassivos e desolados: mendigos, mães em que se adivinha a miséria, velhos decrépitos e tristezas interiores povoam estes quadros nos quais se aprecebe se precebe e inflência de Nonell e El Greco, cuja pintura começa a estar na moda no ínicio do século. Na época Rosa, em contrapartida, são frequentes os feirantes e artistas de circo, aos quais os pintores de Montmartre estavam muito apegados. Pela segunda vez, Picasso, ainda muito jovem mostra que é capaz de evoluir nele com desenvoltura antes de abandoná-lo para dar de novo um salto no vazio

Obras

João Ramos,
nº 10

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Sandro Botticelli

No final da Idade Média, um dos mais importantes centros culturais da Itália era Florença.
O poder estava concentrado nas mãos de famílias muito ricas como os Medici.
Os Medici eram os patrocinadores dos artistas e intelectuais.
Alessandro ou Sandro Filipepi mais conhecido por Botticelli, nasceu em 1445 no bairro de Santa Maria Novella, em Florença bem perto da casa da família Medici.
Botticelli chegou à pintura por vias indirectas, primeiro pela ourivesaria só mais tarde pela pintura com o mestre Fra Fillippo Lippi um dos pintores mais célebres de Florença.
Para os próprios Medici, Botticelli realizou trabalhos mitológicos inspirados na antiguidade, mas influenciado por pensamentos neoplatônicos incluindo as suas famosas obras “A Primavera” e “O Nascimento de Vénus”.
Sandro Botticelli revolucionou a sua época com o Nascimento de Vénus por ser o primeiro grande quadro renascentista em grande escala e com um tema exclusivamente mitológico.

A obra de Botticelli, especialmente a Primavera e o Nascimento de Vénus é a que melhor exprime o pensamento Neoplatónico no Quattrocento florentino.
De uma maneira geral, as cores da pintura são tão discretas e recatadas como a imagem de Vénus.
A Vénus nua invoca a Vénus nascida do mar, símbolo de pureza e fonte do “amor divino”.
O nascimento de Vénus a partir da concha lembra a renovação ou o Renascimento do qual os neoplatónicos não se afastaram, caracterizado por uma oposição entre o espiritual e o material.
O “Nascimento de Vénus” é um trabalho sobre tela pintado por volta de 1478.
Mede 172,5x278 e encontra-se na Galeria Degli Uffizi em Florença.
Obras
Pedro Alves, nº 19

Diego Velasquez

Diego Rodríguez de Silva y Velázquez (Sevilha, 6 de Junho de 1599Madrid, 6 de Agosto de 1660) foi um pintor espanhol e principal artista da corte do Rei Filipe IV de Espanha.
Filho de um advogado de nobre ascendência portuguesa, Velázquez levou o prenome do avô paterno que, em 1581, deixou Portugal (era originário do Porto) para instalar-se com sua esposa em Sevilha. Sua mãe era de origem sevilhana. Foi um artista tecnicamente formidável, e na opinião de muitos críticos de arte, insuperável pintor de retratos.
Em 1610, sua família percebeu sua vocação e, ainda jovem, Velázquez foi levado para estudar com Francisco Herrera, o Velho. Em dezembro do mesmo ano, entrou como aprendiz no estúdio de Francisco Pacheco e, em 1611, o pai assinou, em seu nome, um contrato de aprendizado por seis anos com Pacheco. Casado com a filha de seu professor, Juana, com quem teve uma filha, Francisca, logo Velázquez iria se unir a Diego de Melgar, com quem foi para Madrid. A personalidade do seu mestre, Pacheco, tido como pintor medíocre, mas teórico interessante, forneceu uma sólida formação técnica a Velázquez e acesso a um meio que revelou-se valioso para a sua profissão. Entre seus primeiros trabalhos é possível notar contraste entre zonas escuras e zonas iluminadas por um único foco de luz, uma tentativa de ressaltar volumes e relevos. Esta técnica era característica do tenebrismo e tinha como p
rincipal artista Caravaggio.
Como um pintor de retratos inspirado no tenebrismo buscava mostrar os detalhes de cada modelo. Sendo que seu diferencial era não prender-se apenas ao cômico ou ao grotesco dos personagens, retratando todos respeitosamente e destacando a individualidade de cada um.
A sua fama veio logo após sua morte, começando no início do século XIX, quando se provou um modelo para os artistas realistas e impressionistas, em especial para Edouard Monet. Sua influência estendeu-se para artistas como Pablo Picasso e Salvador Dali.
Obras
Luis Vaz, nº12

Vieira da Silva

Maria Helena Vieira da Silva nasceu em Lisboa a 13 de Junho de 1908.
Filha do Embaixador Marcos Vieira da Silva e de Maria Helena, cedo demonstrou interesse pelas artes.
Aos 11 anos, começou a estudar pintura e desenho na Academia de Belas Artes, em Lisboa. Estudou também na Faculdade de Medicina de Lisboa.
Em 1928 foi para Paris, onde deu continuidade aos seus estudos em pintura, com conceituados artistas da cidade.
Em 1930 casou-se com o pintor húngaro, Árpád Szenes.
No período da Segunda Guerra, residiu uma grande temporada no Brasil, onde contactou com importantes artistas locais.
Vieira da Silva criou várias ilustrações para histórias de crianças, executando uma série de guaches.
Foi em 1956 que obteve a nacionalidade francesa, tendo o governo francês adquirido algumas das suas obras.
Em 1960, o governo francês atribuiu-lhe uma primeira condecoração. Em 1966 é a primeira mulher a receber o Grand Prix National des Arts. Em 1979 torna-se cavaleira da Legião de Honra Francesa.
Faleceu em 1992, ano em que participou na Europália.
Em Lisboa, foi fundada a Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva., com o objectivo de honrar a memória deste casal de pintores.
As suas principais obras foram:
- As Bandeiras Vermelhas, em 1939
- O Passeante Invisível, em 1949
- O Quarto Cinzento, em 1950
- L`Állée Urichante, em 1955
- Les Grandes Constructions, em 1956
- Londres, em 1959
- Painéis de azulejo para a estação do metro de Lisboa ( Rato e Cidade Universitária)

Obras

Tiago Filipe, nº 23

Paula Rego

Paula Figueiroa Rego, é uma pintora portuguesa de grande projecção internacional e nasceu em 1935 em Lisboa. Partiu em 1954 para frequentar a Slade School of Art em Londres. Casada com um inglês permaneceu em Inglaterra, onde fixou residência, desde 1976 e só em 1981 concretizou a sua primeira exposição individual. As suas raízes trazem-na regularmente a Portugal onde exibe com frequência. Paula Rego recebeu o prémio Celpa/Vieira da Silva - Consagração e o Grande Prémio Soquil. E é, a par de Vieira da Silva, uma das pintoras portuguesas mais aclamada mundialmente. A artista é representada pela Galeria Marlborough. Esta Galeria tem cerca de 130 obras de arte múltipla original da Paula Rego à venda pela Internet.
Com um nome reconhecido em todo o mundo, é colocada entre os quatro melhores pintores vivos em Inglaterra.

Obras










Soraia Lopes, nº 24

Edgar Degas

Edgar Hilaire Germain de Gas ou Edgar Degas nasceu na data de 19 de Julho de 1834 e faleceu em 27 de Setembro de 1917, foi um gravurista, pintor e escultor francês. Embora seja muito conhecido pelas suas pinturas, maioritariamente de carisma impressionista, é igualmente relembrado como gravurista. Muitos dos seus trabalhos conservam-se hoje no Museu de Orsay, na cidade de Paris, onde o artista nasceu e faleceu.


Obras








André Correia, nº 1

Salvador Dali

Salvador felipe Jacinto Dali y Domenech nasceu a 11 de Maio de 1904 em Figueiras, uma pequena cidade na província catalã.
Foi um dos mais emblemáticos pintores do século XX cujas as obras surrealistas continuam a impressionar nos dias de hoje.
A mestria e técnica das suas obras contribuíram igualmente para a sua popularidade.
Dali em jovem tinha um comportamento exibicionista e de rebelião que lhe viriam a ser muito úteis do ponto de vista artístico.
Iniciou os seus estudos escolares em Figueras onde não apreendeu nada.
Mais tarde andou num colégio privado dirigido por frades onde reteve certas imagens como "Angelus" de Millet.
Dali também possuía interesses musicais e literários, e era uma grade admirador de Picasso.
Em Setembro de 1921 Dali desloca-se a academia de Belas Artes em Madrid a fim de concorrer há administração, tendo conseguido
o cargo.
Durante os anos seguintes Dali pintou grandes quadros como a "Persistência da memória" , "atavismo do crepúsculo","Rosto de Mãe West" e
"Prenominação da Guerra Civil" entre outras.
A 30 de Agosto de 1984 ficou gravemente ferido num fogo, enquanto dormia e mais tarde verificou-se que além de queimaduras Salvador Dali sofria de
Subnutrição.
Dali não comia pelo facto de acreditar que a comida estava envenenada.
A 23 de Janeiro de 1989 Dali morre e Figueras.
Obras




Sebastião Castro, nº 22

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Raffaello S.

Pintor e arquitecto italiano (Urbino, 6 de Abril de 1483 — Roma, 6 de Abril de 1520) foi seguramente o seu pai Giovanni Santi pintor da corte do duque d’Urbino, que o incitou à pintura. Em 1497 entrou para o atelier de Pégurin e, em 1504, foi para Florença onde toma contacto com a arte de Michelangelo e de Leonardo da Vinci que o marcam profundamente. Em 1508 o Papa Júlio II chama-o para Roma, encarregando-o dos frescos e dos aposentos do Vaaticano. No mesmo ano Rafael inicia uma carreira de arquitecto desenhando as plantas da Villa Farnesina. Em 1514, após a morte de Bramante, o Papa Leão X confiou-lhe a construção da Basílica de S. Pedro.
Apesar da morte prematura, Rafael deixou uma obra considerável, admirada e considerada como o ideal clássico.


Obras

Mónica Consciência, nº 17

Peter Paul Rubens

Peter Paul Rubens nasceu em Siegen, a 28 de Junho de 1577 e faleceu na Antuérpia, a 30 de Maio de 1640.
Foi um pintor flamengo inserido no contexto do Barroco.

Biografia
Rubens nasceu fora da terra em que passou a maior parte de sua vida e a qual serviu com muito patriotismo, Flandres. Os seus pais encontravam-se exilados na cidade de Siegen, por apoiarem a luta dos Países Baixos pela independência da Espanha. Além do crime político, o pai de Rubens ainda caiu em desgraça quando foi descoberto seu envolvimento amoroso com a Princesa de Orange, simplesmente esposa do líder do movimento separatista. Só escapou da condenação à morte porque sua esposa Maria Pypelinckx, a futura mãe do pintor, concedeu-lhe um perdão público, fazendo a pena ser substituída por exílio.
Obras
















João Alves, nº 11

quarta-feira, 13 de maio de 2009

EL GRECO

Quem Foi El Greco?

Doménikos Theotokópoulos , mais conhecido como El Greco, ("O Grego") (Ilha de Creta, 1541 — Toledo, 7 de Abril de 1614) foi um pintor, escultor e arquitecto grego que desenvolveu a maior parte da sua carreira nem Espanha.


O Que Pintou?

Para além de temas religiosos, pintou retratos de importantes personalidades da vida espanhola e paisagens da cidade. Nas suas obras podem encontrar-se o misticismo bizantino, a sensibilidade pela cor e pelos jogos de luz, a concepção do espaço, os alongamentos e posições distorcidas do Maneirismo e a mistura de realismo. O estilo dramático e expressivo de El Greco foi considerado estranho por contemporâneos, mas encontrou grande apreciação no século XX, sendo considerado um precursor do expressionismo e do cubismo, ao mesmo tempo em que sua personalidade e trabalhos eram fonte de inspiração a poetas e escritores.

Arquitectura e Escultura

El Greco foi bastante admirado como arquitecto e escultor, durante sua vida. Normalmente realizava a composição completa dos altares, funcionando ao mesmo tempo como arquitecto, escultor e pintor.


Pinturas mais importantes





Sara Lucas, nº 21